Quando o direito estiver em confronto com a justiça, LUTE PELA JUSTIÇA

Captura de Tela 2016-03-05 às 18.03.30Marcio Cruz
Educador, mestre em ciências sociais

 

 

A deusa Themis também conhecida como deusa da Justiça retirou a venda dos olhos, abriu mão do equilíbrio necessário ao Estado Democrático de Direito e escolheu a cabeça contra quem erguer sua espada. Não é a primeira vez! Quando deixa de punir ou liberta assassinos de trabalhadores do campo e da cidade, escolhe uma direção para seu olhar.

O mandato para o depoimento coercitivo do ex-presidente Lula e outras pessoas a ele ligadas, demostra a fragilidade das instituições democráticas do Brasil. Não fosse esta fragilidade não haveriam pessoas com mais de sessenta anos de idade presas depois de prestar depoimentos, sem a devida presunção da inocência e a espetacularização da justiça nos meios de comunicação com seletividade de vazamentos de informações.

No centro da disputa pelo poder no Brasil está a maturidade da frágil democracia brasileira, que concentra riquezas, mantêm privilégios as elites, limita direitos e coloca em risco a soberania nacional.

Judiciário, Ministerio Publico Federal e Policia Federal, estão enfestados de políticos que utilizam as funções de Estado, para incidir no resultado legitimo das urnas e limitar a força da maior liderança do país nas eleições previstas para 2018.

O espetáculo na coerção a Lula para depor, estava previsto para animar os setores conservadores e fascistas a tomar as ruas pelo golpe institucional contra Dilma e inviabilizar a candidatura de Lula à presidência em 2018. Acabou por despertar a coragem de setores progressistas e de esquerda para enfrentar o fascismo midiático e o retrocesso histórico. Estes setores hoje se reúnem nos sindicatos, praças, ruas, associações e comunidades para preparar o enfrentamento contra os setores fascistas.

A palavra luta não tinha encontrado um sentido mais claro em nosso tempo, e por isso somos chamados ao dever histórico: “Teu dever é lutar pelo Direito, mas se um dia encontrares o Direito em conflito com a Justiça, luta pela Justiça”,[1] vamos as ruas recolocar a venda na Deusa Themis, para que a justiça seja neste tempo restabelecida e possamos avançar na construção de um outro mundo possível, inédito e viável.

 

[1] Frase atribuída ao jurista uruguaio Eduardo Juan Couture.