Quem somos

CARTA-COMPROMISSO DE LINS

Lins (SP), 27 de julho de 2005.

Somos parte de um grupo significativo de mais de 300 pessoas, entre homens, mulheres, jovens, adultos, de todas as etnias, confissões religiosas e político-partidárias, engajados no projeto de transformação do País, através da Educação Popular. Ao longo de três dias, nos reunimos na cidade de Lins, interior do Estado de São Paulo, para refletir e debater em conjunto a relação entre a “A Educação Popular e a Gestão do Conhecimento”, durante as diversas sessões do III Fórum Regional de Educação Popular do Oeste Paulista (III FREPOP) e do I Encontro Paulista de Tecnologia Social (I EPTS), entre os dias 25 e 27 de julho de 2005.

Representamos segmentos diversos dos movimentos sociais: da luta pela terra, passando pelos direitos das crianças, adolescentes, mulheres e idosos; do respeito aos negros e a sua cultura, dos trabalhadores vitimados pelas doenças e acidentes de trabalho, etc. Somos originários ainda da administração pública e privada tanto na esfera municipal, estadual e federal; de inúmeras organizações não governamentais e não apenas de universidades do Estado de São Paulo, mas também de outros cantos do País. Além dos participantes de Lins, viemos de mais 30 cidades e de 6 Estados diferentes da Federação. Deslocamo-nos de todos os cantos: de Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Cafelândia, Campinas, Getulina, Guarantã, Iaras, Jundiaí, Lins, Marília, Penápolis, Piracicaba, Pirajuí, Piratininga, Presidente Alves, Presidente Prudente, Promissão, Osasco, Ribeirão Preto, Santo André, São José do Rio Preto e São Paulo. De fora do Estado de São Paulo, viemos também de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Rio de Janeiro (RJ).

Diante do quadro de grave e complexa crise de natureza político-institucional, que atinge os partidos e o próprio governo do nosso País, trouxemos para cá as preocupações e as angústias que nos afligem. Refletimos que a centralização e a burocratização das decisões, associadas ao progressivo afastamento das instâncias governamentais em relação às aspirações das camadas sociais que as elegeram e a ampliação do esquema de corrupção do Estado estão na raiz dessa crise. É, sobretudo, uma crise ética, de confiança no compromisso assumido, na imagem construída. Entre os ingredientes desse mal-estar, acentua-se o desmonte de instituições, por nós mesmos edificadas muitas vezes com sangue, suor e sofrimento, ao longo destas últimas três décadas, que, até há pouco tempo, pareciam representar os anseios populares com vistas à superação, por um lado, das imensas desigualdades econômicas e sociais existentes no País e, por outro, a construção de uma nova relação baseada na solidariedade, na fraternidade e na participação. Tudo isso parece ruir diante de nós!

Entretanto, apesar do revés que atravessamos, nossa utopia continua viva. Essa crise fortalece a necessidade de transparência dos atos dos partidos políticos, governos e de participação popular nas diversas instâncias de poder. Vale a pena continuar lutando e acreditando que se juntarmos as forças das mulheres, jovens, idosos, negros, trabalhadores e de todos os explorados por este sistema seremos capazes de criar um novo mundo. Sabemos que temos coragem e inteligência suficientes para reencontrar as ferramentas e reconstruir o caminho. Se o fizemos no passado, seremos capazes de refazê-lo a partir de agora. Por isso, queremos, publicamente, aqui reafirmar nossos compromissos:

1) acreditamos firmemente que a Educação Popular, continuará a ser o grande elo que nos une, construída a partir das relações entre os sujeitos das classes populares que desejam se educar mutuamente, num espaço de liberdade e cooperação, com vistas a compreender o mundo em que vivem, ampliando sua participação cidadã nas decisões que afetam os destinos do País e engajando-se na sua transformação;

2) pensamos, também, que a Educação Popular poderá ser mantida como projeto de um governo compromissado, para além das diversidades de suas siglas, com os interesses estratégicos das classes populares, como forma de superação da atual “educação bancária” e excludente, com o objetivo de fortalecê-las e empoderá-las de instrumentos institucionais que garantam a transparência e o controle social na captação de recursos, na elaboração e na aplicação das políticas públicas, afora a participação direta e efetiva nas instâncias diretivas do País;

3) queremos, olhando juntos na direção de nosso objetivo maior, permanecer articulados, envolvendo mais pessoas e instituições nesse sonho, conservando e respeitando nossas características próprias, nossas formas específicas de organização e nossa diversidade de pensamento;
4) comprometemo-nos, finalmente, a manter, ampliar e divulgar a realização de eventos como o III FREPOP – I EPTS, que se constituem, atualmente, em espaços privilegiados de contatos e trocas entre nós, mas, também, de repensamento de nossas práticas e concepções, propondo-nos a zelar para que as políticas públicas não se concretizem de costas para o povo, como tem acontecido, mas incorporando a rica criatividade dos grupos populares que demonstram eficiência e inventividade para sobreviver ao processo de exclusão social, econômico-cultural e, por extensão, educacional das camadas populares.

Lins (SP), 27 de julho de 2005.

1. Alan Ivan Araújo [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
2. Ana Elisa Belinelo [SME – Lins (SP)]
3. Ana Lúcia Ferreira [SME – Lins (SP)]
4. Ana Paula da Silva Alves [UNESP – Assis (SP)]
5. Anna Maria Beozzo J. de Andrade [SME – Lins (SP)]
6. Antonio Folquito Verona [FREPOP – Lins (SP) | UNESP – Assis (SP)]
7. Antonio Mathias Rüdiger Verona [INSIGNE – Campinas (SP)]
8. Antonio Oswaldo Storel [Câmara Municipal – Piracicaba (SP)]
9. Arlene Magda Charantola [IAL – Lins (SP)]
10. Arnaldo Valentim Silva [Educador Popular – Campinas (SP)]
11. Beatriz Ramos Felipe [UNIARARAS – Pirajuí (SP)]
12. Beatriz Soares Nogueira [UNESP – Presidente Prudente (SP)]
13. Carlos Wagner de Araújo Werner [UNIMEP – Lins (SP)]
14. Célio Alves de Oliveira [CMI – Lins (SP)]
15. Cilas Ferraz de Oliveira [Pastoral – UNIMEP – Piracicaba (SP)]
16. Dagoberto Buim Arena [UNESP – Marília (SP)]
17. Damaris Sanches [SME – Lins (SP)]
18. Denise Rocha Pereira [SME – Lins (SP)]
19. Edgar de Souza [Câmara Municipal – Lins (SP)]
20. Edgar Paulo Pastorello [FPTE | UNILINS – Lins (SP)]
21. Eliana Márcia Neves Galvão [Pedagogia Cidadã – Promissão (SP)]
22. Elisângela Souza Maia Neves [UNIARARAS – Pirajuí (SP)]
23. Enaldo Pires Montanha [FPTE | CETEC | SOSRD – Lins (SP)]
24. Eneida Bini Bortoloti [UNIARARAS – Pirajuí (SP)]
25. Eric Ferdinando Passone [UNICAMP – Campinas (SP)]
26. Fabiana Corsi [Prefeitura Municipal – Pirajuí (SP)]
27. Fabiana Vita Florentino [SME – Lins (SP)]
28. Fernando Almeida Barros [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
29. Francisco Negrini Romero [UNIMEP – NEPEP – Piracicaba (SP)]
30. Gerson José da Silva Guimarães [ITS – São Paulo (SP)]
31. Guilherme Moraes e Silva [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
32. Heitor Theodoro da Silva [SITRAENFA – Bauru (SP)]
33. Iolanda Toshie Ide [CMDM – Lins (SP) | UNESP – Marília (SP)]
34. Isabel Carolina Marchesi Soller [Botica “Mãe Terra” – Lins (SP)]
35. Ivan Cruz [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
36. Izabel Cristina C. Miranda [Pedagogia Cidadã – Promissão (SP)]
37. João Paulo Poltronieri [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
38. José Carlos Miguel [UNESP – Marília (SP)]
39. José Misael Ferreira do Vale [UNESP – Bauru (SP)]
40. Kely Elias de Castro [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
41. Késia Leonardo de Carvalho [UNIMEP – Lins (SP)]
42. Lucimara Tagliaferro Belvedere [SME – Lins (SP)]
43. Luiz Carlos de Freitas [MFP “Santo Dias da Silva” – Bebedouro (SP)]
44. Luzia de Lima (Mera) [COMDIM – Pirajuí (SP)]
45. Manoel Messias Santos Ramires [SAR “Paulo Freire” – Lins (SP)]
46. Marcelo Correia Costa [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
47. Márcia Elisabete Torresi [UNESP – Assis (SP)]
48. Márcio Cruz [Educador Popular – FESP – São Paulo (SP)]
49. Maria de Lourdes Otero Brabo Cruz [UNESP – Assis (SP)]
50. Maria do Perpétuo Socorro Gomes de Oliveira Léles [SME – Lins (SP)]
51. Maria José dos Santos [PROAJA – Lins (SP)]
52. Maria José Souza Rossi [UNIARARAS – Pirajuí (SP)]
53. Marluse Castro Maciel [USP – São Paulo (SP)]
54. Monica Giraldez [UNIPAZ – Florianópolis (SC)]
55. Nelson Silva Filho [UNESP – Assis (SP)]
56. Nilda F. P. Casagrande [CDL – Santa Bárbara d’Oeste (SP)]
57. Pedro David Mireles [FAFIVA – Valença (RJ)]
58. Pedro Geraldo Tosi [UNESP – Franca (SP)]
59. Philip Hiroshi Ueno [ITS – São Paulo (SP)]
60. Priscila Rossi [UNIARARAS – Pirajuí (SP)]
61. Rafael D´Almeida Martins [Instituto Polis – ITS – São Paulo (SP)]
62. Regiani Aparecida Santos Zacarias [UNESP – Assis]
63. Rita Cristina da Costa Rechi [Pedagogia Cidadã – Promissão (SP)]
64. Roberto Alves Dias [IALIM – Lins (SP)]
65. Roberto de Melo [Diretor de Teatro – São Paulo (SP)]
66. Robinson Janes [Cátedra do Oprimido – UNESP – Marília (SP)]
67. Rudá Ricci [PUC – Belo Horizonte (MG)]
68. Salete Elias da Silva Castro [SME – Lins (SP)]
69. Sebastião de Souza Lemes [UNESP – Araraquara (SP)]
70. Silvana Martinho da Silva Balansieri [SME – Lins (SP)]
71. Tercília de Oliveira Rodrigues [Prefeitura Municipal – Promissão (SP)]
72. Thaís Carvalho Hércules [UNESP – IA – São Paulo (SP)]
73. Vasni de Almeida [Pastoral – UNIMEP – Lins (SP)]
74. Vera Lúcia P. de M. Kodama [Pedagogia Cidadã – Promissão (SP)]
75. Yone da Silva [Pastoral – UNIMEP – Lins (SP)]