De onde viemos

Desde os anos 1960 que o MunicA�pio de Lins vem se destacando pelo compromisso com a EducaA�A?o Popular. Patrocinados pelas diversas pastorais da Igreja CatA?lica (a Diocese de Lins, entA?o, era considerada uma das mais socialmente engajadas do PaA�s), mas tambA�m pela atuaA�A?o de instituiA�A�es como a Faculdade de ServiA�o Social (FSS) e o Grupo Linense de EducaA�A?o Popular (GLEP), dos diversos movimentos sociais, mesmo durante o perA�odo da repressA?o militar (1964-1985), que puderam se organizar e contribuir para que os trabalhadores, gente das classes populares, se constituA�ssem em protagonistas do prA?prio processo de educaA�A?o e pudessem ampliar seus conhecimentos sobre o mundo, buscando uma explicaA�A?o para sua condiA�A?o de vida, com o objetivo de transformA?-la.

No clima favorA?vel de resistA?ncia A� Ditadura, no inA�cio de 1980, foi formado em Lins o DiretA?rio Municipal do Partido dos Trabalhadores (PT), o primeiro a se constituir no Oeste Paulista. Para ele afluA�ram muitas pessoas vinculadas A�s pastorais sociais catA?licas, lA�deres comunitA?rios e antigos militantes de esquerda. Daqui, o PT irradiou-se para toda a regiA?o da MA�dia e Alta Noroeste. Entre 1997-2004, Lins foi administrada por um primeiro Governo DemocrA?tico e Popular (ColigaA�A?o PT-PDT-PCdoB), que, desde seus primA?rdios, implementou a efetivaA�A?o das duas modalidades de EJA no MunicA�pio, existentes atA� os dias atuais: a) alfabetizaA�A?o propriamente dita que A� desenvolvida, atravA�s de monitores voluntA?rios, pelo Programa “Auxilium” de Jovens e Adultos (PROAJA), constituindo-se numa parceria, desde 1998, entre a Prefeitura Municipal de Lins e a Faculdade “Auxilium” de Lins (FAL), e que mantA�m, atualmente, 11 classes no municA�pio; e b) continuidade, correspondente A�s sA�ries seguintes, que ficou a cargo do Curso de EducaA�A?o de Jovens e Adultos (CEJA) da Secretaria Municipal de EducaA�A?o, com a participaA�A?o de professores efetivos e temporA?rios. No ano de 2003, funcionaram as mesmas 10 classes jA? existentes no ano anterior, com um atendimento que alcanA�ava cerca de 200 alunos. Ainda em 2003, ocorreram trA?s acontecimentos muito significativos para o avanA�o da EducaA�A?o Popular e o aprofundamento do compromisso da administraA�A?o municipal com a elevaA�A?o do nA�vel de escolaridade das classes trabalhadoras.

O primeiro acontecimento assaz relevante foi a inauguraA�A?o, no dia 24 de abril daquele ano, do Centro de EducaA�A?o Popular (CEP) “PAULO FREIRE”, sito na Escola Municipal “Profa. Alice Melges TinA?s”, no Bairro Bom Viver I, que contou com a especial presenA�a do Prof. Lutgardes Costa Freire, filho do ilustre pedagogo homenageado. O local passou a se destinar a encontros, momentos de estudos, de oficinas de trabalho e ainda de lazer para alunos e professores do CEJA, abrindo tambA�m suas portas aos demais jovens e adultos da comunidade circunstante. O CEP “PAULO FREIRE”, a partir de entA?o, passou a oferecer cursos de capacitaA�A?o profissional e momentos formativos.

O segundo, foi a abertura de uma nova classe na Escola Estadual a�?JoA?o dos Santos Meiraa�?, do Bairro Guapiranga (zona rural distante cerca de 30 km de Lins), exatamente no dia 5 de maio daquele ano. Em 2006, a mesma classe recebeu cerca de 20 trabalhadores rurais sem-terra provenientes do Acampamento a�?Simon BolA�vara�?, entA?o, localizado no bairro limA�trofe de Canjarana (MunicA�pio de GuaiA�ara). O terceiro acontecimento foi a maciA�a participaA�A?o dos alunos do CEJA nas sessA�es preliminares e na prA?pria II ConferA?ncia Municipal de EducaA�A?o, contribuindo para a elaboraA�A?o do II Plano Municipal de EducaA�A?o – biA?nio 2004-2005. Como prioridades, ficaram definidas as seguintes aA�A�es: a abertura de salas em bairros perifA�ricos e distantes do centro, como: Jardim Primavera, Junqueira, Jardim UniA?o, Residencial Paulo Freire, Francisco JosA� de Oliveira Ratto (Lins V) e Ana Carolina (Lins VI); tambA�m a abertura de salas de 5a. a 8a. sA�ries no MunicA�pio em parceria com o Estado; o atendimento ao avanA�o tecnolA?gico com aulas de InformA?tica e inglA?s; a criaA�A?o de possibilidades aos trabalhadores de opA�A�es de horA?rios para poderem estudar (empresas que nA?o respeitam os horA?rios dos alunos empregados); e conseguir mais recursos para compra de material de consumo e de manutenA�A?o do CEJA. Em 2004, jA? estavam funcionando 13 classes de CEJA (11 organizadas atA� 2003) e duas novas que foram abertas, atendendo as prioridades estabelecidas na II ConferA?ncia, nos seguintes bairros: Jardim Primavera e Junqueira. A partir do mA?s de abril desse mesmo ano, 9 classes jA? estavam freqA?entando duas horas/aulas semanais de InformA?tica no Telecentro do CAIC “JoA?o Alves da Costa”.

No dia 27 de julho de 2004, foi inaugurado o Telecentro do CEP “Paulo Freire” para o atendimento A�s classes do CEJA e da populaA�A?o adjacente A�quela unidade. A partir de setembro seguinte, as demais da EducaA�A?o de Jovens e Adultos tambA�m foram incluA�das nas aulas de informA?tica. Em Lins funcionou tambA�m, de 2001 a 2004, por iniciativa do governo anterior e de professores voluntA?rios, o Cursinho PrA�-Vestibular Popular Municipal que chegou a oferecer atA� 100 (cem) vagas para alunos oriundos das classes populares. Em 2003 e 2004, aos estudantes afro-descendentes foram garantidas 51% das vagas existentes; A�s mulheres, no mA�nimo 20%; aos alunos oriundos dos municA�pios vizinhos (GuaiA�ara, Sabino, CafelA?ndia, Getulina e GuaimbA?) tambA�m 20%; e aos portadores de necessidades especiais 05 (cinco) vagas.

Foi nesse contexto de efervescA?ncia na A?rea da EducaA�A?o Popular que nasceu a proposta da realizaA�A?o do I FA?rum Regional de EducaA�A?o Popular do Oeste Paulista (I FREPOP), em julho de 2003, no quadro das iniciativas educacionais implementadas durante a gestA?o do Dr. Antonio Folquito Verona, docente de LA�ngua Italiana na Faculdade de CiA?ncias e Letras (FCL) de Assis, Campus da Universidade Estadual Paulista “JA?lio de Mesquita Filho” (UNESP), junto A� Secretaria Municipal de EducaA�A?o de Lins (SP), entre 2001 e 2004.

O sucesso do primeiro evento ensejou a reediA�A?o de um segundo, jA? no ano seguinte. A� importante notar que a realizaA�A?o dos primeiros dois eventos jA? integrava um grupo significativo e bastante engajado de parceiros nA?o vinculados ao poder pA?blico, como: o Centro UniversitA?rio de Lins (UNILINS), a FundaA�A?o Paulista de Tecnologia e EducaA�A?o (FPTE), o Instituto Americano da Igreja Metodista (IALIM) e a Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Contudo, em outubro de 2004, houve mudanA�as na conjuntura polA�tica local e a derrocada eleitoral da Unidade Popular representou um significativo revA�s no projeto de construA�A?o de mecanismos institucionais, a partir do MunicA�pio, voltados A� emancipaA�A?o das classes populares. HA? que se ressaltar, porA�m, que essa mudanA�a nA?o representou, ao menos de imediato, uma reversA?o completa de tendA?ncia, principalmente na A?rea educacional, visto que o atual governo continua conservando a estrutura de funcionamento do CEJA, herdada inteira do governo anterior, quase inalterada.

Quando se deu a articulaA�A?o em torno do III FREPOP, realizado em julho de 2005, o governo municipal, do PMDB, nA?o concordou em fazer parte de sua equipe de organizaA�A?o, ainda que tenha liberado funcionA?rios municipais e disponibilizado as informaA�A�es necessA?rias para que o evento pudesse acontecer. Na sessA?o de abertura daquele evento, esteve presente e sentou-se A� mesa da solenidade a Profa. Maria Aparecida de Oliveira Golmia, atual SecretA?ria Municipal de EducaA�A?o. Contudo, para a realizaA�A?o do IV FREPOP a�� I Internacional, a organizaA�A?o do evento contou tambA�m com a ajuda financeira da Prefeitura local. A� mesa de abertura, alA�m da secretA?ria jA? mencionada, sentou-se e fez uso da palavra tambA�m o atual prefeito, Prof. Waldemar SA?ndoli Casadei. Logo apA?s o evento de 2005, um grupo de participantes dos encontros anteriores, se articulou para formar uma OrganizaA�A?o NA?o Governamental que passou a se chamar a�?FORUM DE EDUCAA�A?O POPULARa�? (FREPOP), com vistas a dar continuidade a esse projeto. De sua Diretoria Executiva e do respectivo Conselho Fiscal fazem parte pessoas ligadas A�s entidades e instituiA�A�es parceiras nos trA?s eventos jA? transcorridos buy pills hyzaar vs generic buy nasonex canada buy retin a uk, diclofenac dosage forms. Cheap