CARTA DE RECIFE (Em construção)

A Carta de Recife é uma iniciativa de plenária de encerramento do FREPOP que definiu a construção coletiva de uma CARTA a partir das experiências, diálogos e aprendizagens de educadores e educadoras populares no FREPOP 2016. A primeira versão do texto proposto a plenária foi uma contribuição de Lurdes Santin(RS), Marcio Cruz(SC) e Selvino Heck(RS)

Em construção

CARTA DE RECIFE

(Enunciado)

Reuniram-se em Recife, Pernambuco, no 13º FREPOP – Fórum de Educação Popular – 10º Internacional, educadores e educadoras populares que congregam a diversidade de atuação na Educação Popular da América Latina.

Sujeitos políticos que atuam nos territórios na luta pela terra; nos movimentos feministas; pelo livre orientação sexual; pela regularização urbana; pela segurança e soberania alimentar; por saúde publica e integral; na defesa dos direitos das crianças, adolescentes, jovens e idosos; na defesa dos direitos indígenas e dos direitos do povo afrodescendente, somos homens e mulheres que querem efetivados os direitos sociais conquistados com luta e sengue, as camadas populares e que lhes é negado pelo Estado.

Ao mesmo tempo, educadores e educadoras que buscam construir em suas experiências pessoais e coletivas de novos afetos, corporalidades, leituras de mundo e compromissos que promovam ações potentes de transformação pessoal e social, ético e político na construção da ideia de um outro mundo viável e possível.

(Contexto)

Desde este lugar que estabelecemos uma leitura de contexto que nos impõe desafios que não são novos, mas que tem novas correlações de forças.

O mundo passa por uma crise econômica promovida pelas elites por ganancia e poder. E exigem dos trabalhadores e trabalhadoras que paguem a conta! A crise é também política, social, ambiental e cultural.

Ao mesmo tempo em que setores mídia, do judiciário e do parlamento, mobilizam as camadas conservadoras da sociedade para tomar as ruas, defendendo rupturas democráticas, o racismo, o preconceito social. e promovem Golpes institucionais de encurtamento de mandatos de representantes eleitos nas urnas. Ao mesmo tempo que vemos com preocupação, saudamos a exitosa reação popular que frustrou a recente tentativa de golpe militar na Turquia.

Vivemos sobretudo, uma crise de sentido civilizatório, na destruição https://www.acheterviagrafr24.com/prix-du-viagra-en-pharmacie/ da natureza, nas tragédias das guerras por riqueza e poder, que dividem os povos e aprofundam o drama de migrantes como o povo sírio que na tentativa de buscar abrigo e proteção, deitam seus corpos no continente colonizador, afogados na tentativa de atravessar o mediterrâneo, na intolerância e no ódio .

No Brasil, a crise apresenta-se sob a forma de Golpe politico e institucional, que ameaça direitos dos trabalhadores e trabalhadora, promove a máxima do Estado mínimo, do mercado absoluto, destrói os canais de participação social e subverte a democracia. Um governo ilegítimo retira do povo as decisões soberanas sobre o país e a nação.

(Declarações)

Entretanto, defendemos desde nossa pratica que a utopia continua viva!

Por isso, queremos, publicamente, aqui reafirmar nossos compromissos:

1) acreditamos firmemente que a Educação Popular, e o elo que nos une. Construída a partir das relações entre os sujeitos das classes populares que desejam se educar mutuamente, num espaço de liberdade e cooperação, com vistas a compreender o mundo em que vivem, ampliando sua participação cidadã nas decisões que afetam os destinos do País e engajando-se na sua transformação;

2) Como parte do compromisso ético e politico de nossa pratica, a democracia é um valor inalienável para que seja possível a construção de sujeitos autônomos no mundo. Portanto, não descansaremos e junto as camadas populares e setores progressistas lutaremos para restabelecer a Democracia no Brasil, que reduz direitos das camadas populares e promove regalias aos agentes do estado.

3) Derrotado o golpe, queremos mais Direitos e democracia!

4)……

Procedimentos:

a) O texto divulgado poderá ser mudado em parte ou no todo, sendo fundamentado as inclusões e alterações.

b) O texto está dividido em três partes: enunciado, contexto e declarações. As alterações devem ser realizadas no mesmo sentido de cada parte do texto.

c) Cada pessoa deve fazer sua contribuição nos COMENTÁRIOS abaixo da página, diretamente no site para que haja visualização em tempo real.

d) O fechamento da Carta será realizado na Ciranda de Sistematização do FREPOP e amplamente divulgada.

Participe!Certro educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*