Circular 6 a�� Fev/2016 Carpina-PE I Ciranda metodolA?gica Marcus Matraga

20160229114105

Realizada entre os dias 27 e 28 de julho na FETAPE, Carpina-PE.

A ciranda em memA?ria a Marcus Matraga, realizada em Carpina-PE, no centro social da FETAPE, reuniu 63 educadores e educadoras de A?reas distintas de atuaA�A?o nos pressupostos de EducaA�A?o Popular para definir os caminhos de organizaA�A?o do XIII FREPOP a�� FA?rum de EducaA�A?o Popular a�� X Internacional.

pills online MOMENTOS http://bestslim.org/unique-hoodia-best-price/

I) Reconstruindo a histA?ria do FREPOP

Depois da acolhida em Carpina, iniciou-se o processo de conhecimento e reconhecimento do FREPOP como um territA?rio de encontro e reencontro entre educadores e educadoras populares.

Houve a reconstruA�A?o da histA?ria do FREPOP em suas doze ediA�A�es utilizando o livro FREPOP a�� tecendo e alinhavando encontros experiA?ncias e saberes, no capA�tulo tecendo a histA?ria do FREPOP.

II) AnA?lise de conjuntura e uma proposiA�A?o sobre o papel da EducaA�A?o Popular

O debate sobre a conjuntura foi construA�do coletivamente, com a participaA�A?o de todos na leitura de contexto polA�tico, econA?mico e social da AmA�rica Latina, especialmente do Brasil.

Neste contexto, expressou-se a atual fase de crise do desenvolvimento do Capitalismo, que tem como objetivo acelerar a concentraA�A?o de riquezas, saquear o Estado (privatizando serviA�os ou vendendo serviA�os diretamente aos governos), retirar direitos das camadas populares, aumentar juros, reduzir o padrA?o de compra e elevar o desemprego.

Soma-se a este momento, as manifestaA�A�es fascistas e golpistas, que colocam em risco as conquistas democrA?ticas que permitem a organizaA�A?o do povo, especialmente por leis que restringem a participaA�A?o e organizaA�A?o social e criminalizam os ativistas sociais que se manifestam publicamente.

Seguimos no momento de descenso das grandes lutas sociais de enfrentamento entre capital e trabalho, ou por polA�ticas pA?blicas, ao mesmo tempo em que encontramos uma juventude sedenta por mudanA�as, tanto nas formas de participaA�A?o, quanto na formulaA�A?o de possibilidades do inA�dito viA?vel para os interesses das classes populares. Apesar deste momento, nA?o temos conseguido responder a indagaA�A?o sobre o que fazer?

Estamos numa situaA�A?o emergencial que nos obriga a juntar forA�as para enfrentar a onda de linchamentos morais e preconceitos com forte identidade no fascismo, na violA?ncia policial, na violA?ncia contra a mulher, no judiciA?rio que encarcera a juventude negra e pobre do paA�s. HA? uma ofensiva conservadora na AmA�rica Latina, depois de um ciclo em que os setores populares puderam respirar e sonhar com um futuro melhor aos seus filhos, vitA?ria eleitoral dos setores conservadores no Brasil A� considerada estratA�gica para desencadear um processo de rupturas com as conquistas econA?micas e sociais, que atendem as camadas populares.

Neste contexto, cristaliza-se a necessidade de educadores e educadoras populares de ampliar a capacidade de organizaA�A?o, mobilizaA�A?o e formaA�A?o para pensar, organizar e enfrentar novos processos de luta que pavimentem um projeto de sociedade para alA�m do a�?lulismoa�?, e da lA?gica da conciliaA�A?o de classes, comum a todos os projetos de governo desde GetA?lio Vargas, JoA?o Goulart e que segue atA� o presente momento, como o a�?lulismoa�?.

III) Aprofundando o debate sobre o TEMA GERADORA�

O debate sobre o tema gerador iniciou no sA?bado e encerrou no domingo, dando tempo para um profundo debate sobre um Tema Gerador que desse conta do contexto histA?rico e social que estamos inseridos, especialmente a partir dos espaA�os de atuaA�A?o de educadores e educadoras.

O processo iniciou em grupos, tendo acesso A�s sugestA�es registradas no site e A� primeira sA�ntese construA�da na Ciranda em Porto Alegre. Depois dos grupos apresentarem suas perspectivas sobre quais poderiam ser o Tema Gerador, concluiu-se, numa amorosa e comprometida discussA?o pelo tema:

EDUCAA�A?O POPULAR: Desafios das lutas sociais na construA�A?o da sociedade que queremos

Depois da acalorada discussA?o, acordou-se que os temas que ficaram construA�dos no debate seriam remetidos A� comissA?o de sistematizaA�A?o como propostas e insumos para a definiA�A?o de eixos temA?ticos que orientem a inscriA�A?o de atividades autogestionA?rias para as rodas de conversa, oficinas e arenas.

IV) Caminho metodolA?gico

O caminho metodolA?gico do FREPOP A� composto de cinco momentos, que ocorrem em tempos distintos sem uma ordem hierA?rquica, dependendo de cada contexto.

Heis osA�momentos a serem construA�dos no caminho:A�

DEFINIA�A?O DO PROBLEMA

DefiniA�A?o do tema gerador que expresse um problema marcante das classes populares, organizadas e nA?o organizadas, no contexto atual do capitalismo.

(ObservaA�A?o: este momento iniciamos na vivencia desta ciranda, em Carpina)

DefiniA�A?o de atA� oito eixos temA?ticos que decomponham o tema gerador.

(ObservaA�A?o: serA?o definidos na prA?xima Ciranda em maio quando concluiremos este momento do caminho metodolA?gico)

PROBLEMATIZAA�A?O

InscriA�A?o de rodas de conversa que tenham relaA�A?o com os eixos temA?ticos definidos a partir do tema gerador.

APRENDIZAGEM

InscriA�A?o de oficinas, espaA�os de aprendizagens realizados nos territA?rios e junto A�s camadas populares, dentro da perspectiva do tema gerador.

CONTRADIA�A�ES

RealizaA�A?o de arenas ou atividades nacionais e internacionais com pessoas que tA?m sistematizado, a partir da reflexA?o complexa, suas experiA?ncias sobre determinados temas.

AA�A?O

A� realizada quando retornamos revigorados aos territA?rios de aA�A?o pessoal e coletiva junto as camadas populares, as quais somos parte e estamos comprometidos.

ObservaA�A?o: O Caminho metodolA?gico pactuado na prA?xima Ciranda, quando serA?o definidas as atividades de cada momento do caminho e os eixos temA?tico.

V) Modelo de organizaA�A?o

O processo de organizaA�A?o do XIII FREPOP a�� FA?rum de educaA�A?o popular a�� X Internacional terA? como modelo de organizaA�A?o duas instA?ncias de construA�A?o coletiva:

  • ComitA? Nacional de OrganizaA�A?o do FREPOP 2016A�

O ComitA? Nacional, que foi composto na Ciranda de SistematizaA�A?o em novembro de 2014 em GoiA?nia, A� aberto para educadores e educadoras que queiram compartilhar as responsabilidades de articular e pensar o FREPOP como um movimento que reA?na num mesmo territA?rio pessoas de distintas A?reas de atuaA�A?o, organizados em distintas redes.

O comitA? local de organizaA�A?o A� composto por ao menos uma pessoa de cada uma das comissA�es locais, a secretaria executiva e por pelo menos uma pessoa do ComitA? Nacional.

Na Ciranda em Carpina/PE foram propostas ComissA�es para a ediA�A?o deste ano do FREPOP:

As comissA�es sA?o abertas e, por tanto, serA? postado no site o nome e a responsabilidade de cada uma para que as pessoas possam se colocar A� disposiA�A?o para compor as comissA�es. Os nomes abaixo sA?o dos responsA?veis neste primeiro momento em contatar os nomes voluntA?rios que se inscreverA?o para colaborar.

ComissA�es e responsabilidades

METODOLOGIA

Organiza e promove a programaA�A?o do FREPOP 2016, garantindo os espaA�os metodolA?gicos para que se possa fazer o caminho metodolA?gico.

Cibele Rodrigues (Fundaj) MA?nica (Fetape)

MOBILIZAA�A?O

Pensa formas de mobilizar educadores e educadoras populares para que se engajem nas tarefas e participem dos processos de construA�A?o do FREPOP, bem como do prA?prio evento.

Nadja Moraes (RECID)

COMUNICAA�A?O

Cuida do site e redes sociais, promove e produz peA�as de comunicaA�A?o.

Adriano Matilha (FREPOP-Marilha)

CULTURAL

Organiza a programaA�A?o cultural dos dias do evento.

A�lcio Ricardo (PMPICS)

ACOLHIMENTO

Organiza as atividades de acolhimento e mA�stica durante o FREPOP

Bruno e IrmA? Terezinha

INFRAESTRUTURA E LOGA?STICA

Garante hospedagem solidA?ria para quem precisa, incorpora a comunidade do local e pensa formas de garantir alimentaA�A?o, transporte e equipamentos para os dias do evento.

Alexandre Neto (CT a�� COSEMS-PE/ANEPS-PE)

FREPOPINHO

ConstrA?i atividades para crianA�as e adolescentes.

Cledson Reis (ANEPS a�� PE)

SECRETARIA EXECUTIVA

Garante a realizaA�A?o das decisA�es do ComitA? Organizador local, faz os contatos com o ComitA? Organizador Nacional, faz registros das decisA�es, envia ofA�cios, faz a articulaA�A?o local para garantir as decisA�es das comissA�es, entre outras.

Glauce Gouveia (ComitA? Territorial de EducaA�A?o Integral de Pernambuco)

FINANCIAMENTO

Busca recursos para a realizaA�A?o do FREPOP

Marcio Cruz (FREPOP)

 

ComitA? Nacional de OrganizaA�A?o do FREPOP 2016

purchase menosan

4 comentários sobre “Circular 6 a�� Fev/2016 Carpina-PE I Ciranda metodolA?gica Marcus Matraga

  1. Ola ; Gostaria de saber quando começa a inscrição para Frepop 2016 que acontecerá em PE no mês de julho.

    • Ivonildes, bom dia..
      Deve iniciar em maio, fique atenta aos informes no site..

      Abç,

  2. Cledson Reis gostaria de saber como faco para propor uma oficina para criancas no Frepop, se vao abrir inscricao? Em no do LAGEPOP / UFU

    • Boa tarde Ludimila, as inscrições para atividades devem abrir no site a partir do dia 20 de abril. Fique atenta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*